" Sou Teu filho amado em que achas o teu prazer..." Será?




Tem dias em que acordamos, nos olhamos no espelho, e parece que nesse momento conseguimos enxergar lá dentro, e vemos o nosso fracasso como filho.
A necessidade de batalhar para ter e depois se der ser, faz-nos perder o foco da vida, e começamos uma busca incansável pelo  poder (seja ele qual for).
Sem forças tentamos ser o que de longe não somos, e até conseguimos disfarçar bem, não é? Nem o nosso próximo mais próximo consegue notar a farsa, rs E isso toma uma proporção tão grande que nos tornamos inalcançáveis. Mas não para Ele.
"Eis-me aqui, sou aquele que esquadrinhas desde o nascimento, os meus anos escrevestes todos e me demostraste o teu amor..."
Da pra pensar na imensidão desse amor? Que alcança o perdido, lança fora o medo, tudo sofre, cre e espera?
E isso nos dá uma pontinha de esperança, o que já é o suficiente para nos libertarmos da prisão em que nos trancamos, rompendo todo o medo e escuridão. Então nós permitimos que um novo capitulo comece a ser escrito, com páginas em branco e com a caneta na mão do maior Autor, Deus.
Não importa quanto tempo faz que você se aprisionou, ou quanto tempo faz que você vive essa dor que ninguém nota, existe um amor que rompe as barreiras, cura as feridas, e restaura o que está perdido, e nada que você faça te separa desse amor, a não ser que você opte se afastar dele, mas ainda assim, ele continuará lá, a sua espera.

Obs: quando sento para escrever, me vem vários temas na cabeça, mas tudo que eu penso em escrever, é inspirado nEle. Sei que eu tenho leitores que não são cristãos, talvez vocês não curtam muito, mas eu só posso dividir com vocês o que eu recebi(o) e vivi(o), o mais verdadeiro e sincero sentimento de todos, o amor da cruz.
Espero que gostem do texto, beijos de luz *

Share:

0 comentários

Google Analytics Alternative