Nós de alguma forma estamos presos a alguém ou alguma coisa...



“Nós de alguma forma estamos presos a alguém ou alguma coisa. Sejam eles nossos pensamentos ou algum lugar procurando uma forma de nos libertar”.


Hoje vim fala de um passarinho que nasceu numa gaiola e sempre sonhou em voar livremente sem limitações, sem grades. Sonhava em como seria o mundo lá fora. Todos os dias seu dono colocava sua gaiola na janela para tomar sol, e ele sempre via as outras aves voando livremente, felizes. E ele não entendia o porquê ele não podia sair e voar como outros pássaros.
Um dia um pombo pousou sob a janela e viu o passarinho triste, admirando a liberdade de outros pássaros; “meu amigo porque vive nessa gaiola?” e o passarinho: “eu nasci aqui” O pombo perguntou por que o passarinho não fugia dali, mas o passarinho não podia sua pouca força o impedia. O pombo querendo ajudar prometeu ao passarinho lhe contar tudo que vivera no mundo a fora, tudo o que seus olhos alcançavam e toda beleza vista de seus voos.
A cada história o passarinho sentia mais vontade de ser livre, e conhecer com seus próprios olhos tudo o que seu amigo pombo contava. Um dia com a ajuda do pombo passarinho conseguiu abrir a gaiola e desatou a voar, com a finalidade de conhecer o infinito. Não demorou muito o pequeno pássaro já não tinha mais controle de seu rumo, triste se perdeu, não sabia voltar pra casa, não sabia se alimentar sozinho. Perdido, sozinho, sem dono, sem abrigo e sem amigo, o pobrezinho padeceu alí.


Essa humilde reflexão é pra dizer que às vezes a nossa liberdade é o que nos prende. Nunca estamos satisfeitos com o que temos e vivemos e buscamos no desconhecido uma felicidade imaginada. E numa ação impulsiva nos perdemos daquilo que já nos era verdadeiro, benéfico  e já nos fazia feliz e que nem todo limite é prisão. 


** Inspirado na história original de Eliton Ferreira

Share:

0 comentários

Google Analytics Alternative